Coordenação pedagógica: quais são suas funções?

Os coordenadores pedagógicos nas instituições passam por muitos. Muitas tarefas são agregadas aos coordenadores e que nem sempre são de sua competência.

Das tarefas, é preciso ter um controle do que é prioridade. O coordenador não pode ser visto como um “faz tudo”, pois fica impossível de desenvolver e colocar em prática projetos de longo prazo. Sua função na instituição é mais preventiva do que reativa, para que o nível do trabalho seja cada vez melhor.

Quais são suas funções

Planejar os horários dos professores

78% afirmam reunir-se periodicamente com todos os professores, porém só isso não basta. É preciso ter tempo para planejar e tornar mais produtivos esses momentos.

Reunir-se com os professores para debater os conteúdos e falar sobre o desempenho das turmas

Só 27% declaram reunir os professores por disciplina, para tratar de conteúdos específicos, e 31% por ano, para conversar sobre as turmas.

Atender individualmente os professores quando necessário

Apenas 19% discutem com cada docente da equipe e sugerem novas estratégias de ensino, após observar as práticas pedagógicas em sala de aula.

Fornecer material teórico para os professores e avaliar o seu desempenho

Não mais de 31% apontam o preparo dos docentes como um dos principais problemas da coordenação pedagógica.

Acompanhar o desempenho da escola no IDEB e tomar medidas preventivas e corretivas

47% dos entrevistados citaram um número que está fora da escala do Índice de Desenvolvimento da Educação Básica (Ideb), embora a maioria afirme saber o resultado da escola. Mais do que ter o número, é essencial usá-lo para guiar o planejamento em equipe.

O que não faz parte do trabalho

Conferir a organização e limpeza das classes

55% dos coordenadores realizam essa tarefa e 90% a avaliam como adequada à sua função, que pode ser delegada a um funcionário de serviços gerais.

Fiscalizar a entrada e saída dos alunos

72% dos entrevistados têm essa atividade na rotina e 91% a consideram apropriada, mas o controle deve ser responsabilidade de um funcionário treinado para a função.

Visitar empresas e fazer parcerias

54% gostariam de ter mais tempo para isso, mas o papel de relações públicas é do diretor.

Substituir professores

19% dos entrevistados fazem isso uma ou algumas vezes por semana. Sua função, porém, é ajudar a direção a montar, com os docentes, um banco de atividades e uma lista de substitutos para resolver esse tipo de emergência.

Cuidar de questões administrativas

22% acreditam que isso é seu papel, embora os especialistas garantam que a parceria com o diretor deve se restringir aos assuntos pedagógicos.

Autonomia de suas funções

Os gestores e diretores precisam ver os coordenadores pedagógicos como uma peça chave na instituição, pois juntos eles têm o papel de desenvolver o projeto pedagógico escolar e apoiar os professores na aplicação. Apesar desse trabalho ser feito em equipe, é o coordenador que se faz presente em toda a averiguação de desempenho e ajustes e, por isso, ele precisa ter autonomia para lidar com diretores e professores a fim de solucionar qualquer questão com rapidez.

A coordenação precisa de automação

O sistema de gestão da escola precisa atender as necessidades da coordenação pedagógica. Sem essa ferramenta o trabalho fica muito mais difícil e demorado. É preciso ter em mãos relatórios com análise de desempenho das turmas para comparar dados, para ajudar a coordenação a tomar decisões precisas e preventivas.

Se você faz parte da coordenação pedagógica da sua instituição e sente que o sistema de gestão não facilita seu trabalho, convidamos você a conhecer o SAE+C – Sistema de Gestão Escolar. Peça uma demonstração e apresente para o seu diretor!

 

Fonte das estatísticas: resultados da pesquisa Coordenador Pedagógico e a Formação dos Professores: Intenções, Tensões e Contradições.

 

 

 



Deixe uma resposta