Como a tecnologia pode auxiliar no rendimento do aluno

A educação está em constante evolução. Apesar de muitos docentes defenderem o método conservador, a tecnologia é uma ferramenta fundamental de interação com os alunos nos dias de hoje e vem trazendo bons resultados nas escolas.

Deixar de lado as inovações tecnológicas é um retrocesso para os alunos de hoje em dia, pois o mundo está cada vez mais conectado e existem muitos recursos que podem auxiliar no aprendizado e aumentar o rendimento do aluno na escola.

Um exemplo na prática

O núcleo de ensino da Universidade Estadual de São Paulo (Unesp) realizou uma pesquisa com cerca de 400 alunos de oito turmas do colegial da Escola Estadual Bento de Abreu, na cidade de Araraquara, no interior de São Paulo.

A pesquisa foi simples. Durante dois anos, as aulas de Matemática e Física na escola foram divididas entre as aulas tradicionais – com giz e sua voz como material de trabalho – e aulas utilizando recursos tecnológicos com foco na interatividade entre aluno e conteúdo ensinado, chamado pela pesquisa de “objetos de aprendizagem”.

Esses objetos de aprendizagem se tratavam de animações, simulações e jogos — e vale citar o exemplo de um game que permitia que os alunos organizassem diferentes times de futebol para aprender sobre arranjo, ou outro em que eles estudavam probabilidade através das roupas de uma garota que queria ir para uma discoteca.

A experiência levou 2 anos para ser concluída, mostrou que estudantes com menor desempenho nessas duas disciplinas tiveram um rendimento melhorado após a inserção dessa tecnologia nas aulas.

Alunos que tinham média cinco ou inferior, ou seja, aqueles com maior dificuldade de aprendizado, obtiveram em média cerca de 51% de melhoria nas suas notas de Física e Matemática.

Até mesmo alunos com média maior que cinco obtiveram ganhos significativos nas suas médias: cerca de 13%.

Outro exemplo no Amazonas

No Amazonas, temos um grande exemplo de como a tecnologia está sendo inserida na rede pública de ensino.

O governo do estado do Amazonas firmou um acordo com a Google, que passará a desenvolver um pacote de ferramentas tecnológicas com acesso ilimitado a aplicativos digitais do Google Educação, especialmente pensados para os alunos e professores da rede pública do estado.

O governo amazonense, por sua vez, fornecerá rede Wi-Fi em mais de 267 prédios públicos do estado, além de distribuir tablets e modens com Internet 3G nas escolas públicas. Mais de R$ 279,3 milhões foram investidos nesse projeto.

Os dispositivos elaborados pela Google permitirá que os alunos possam acessar todas as ferramentas que a empresa americana oferece, como o Google Drive, Google Tradutor, Maps, Books e afins, mesmo que eles estejam em casa sem conexão à Internet.

A expectativa é que uma geração inteira de estudantes do Amazonas possa ter sua educação completamente pautada na utilização de tecnologia e interatividade.

Só de tecnologia se faz o aluno?

É claro que não é apenas colocar um computador na frente do aluno e ele vai aumentar seu desempenho. Quem trabalha com educação entende que os alunos precisam que o conteúdo seja transmitido através de uma linguagem que eles possam entender e assimilar. Hoje, essa linguagem vem de aplicativos e dispositivos eletrônicos, que está ficando cada vez mais popular entre os alunos. A utilização desses recursos tecnológicos como ferramenta de ensino tem como objetivo principal tornar as aulas mais atrativas e em nenhuma hipótese substituir o professor. A combinação de tecnologia, inovação e um bom educador são as chaves mestras para um novo conceito em educação.

O que você achou sobre o assunto? Comente abaixo e deixe sua opinião!

Conheça também o Professus App, o aplicativo que facilita a comunicação da escola com pais e alunos!



Deixe uma resposta